9 novembro 2020

Mudança e transformação: a constante disruptiva.

Por Florinda Pargas Gabaldón.

A questão é a ferramenta de aprendizagem mais poderosa. Devemos comemorar perguntas, dúvidas, incertezas são as melhores amigas do aprendizado. Existem questões urgentes e necessárias para mudar de rumo, quebrar esquemas e seguir em frente. Mudar de ideia, crenças e certezas é saudável, até mesmo necessário.

Mudança e transformação, mudar de navio, no meio de uma tempestade, pode parecer loucura, mas faz parte do processo de crescer, aprender e evoluir. Reavalie as prioridades. O que eu quero? Onde vou? Onde estou realmente agora? Sentir, pensar e agir O que eu sinto? O que eu acho disso? Como ajo de acordo?

Repensar crenças e certezas pode gerar angústia, ansiedade e medo. Deixa-nos sentir um vazio, sem respostas, que é o primeiro passo para iniciar uma busca, uma viagem inesperada, no desconhecido, uma aventura emocionante. É preciso entender que todos estamos viajando, aprendendo, caindo e levantando. Neste processo, podemos escolher acompanhar-nos, com solidariedade, compaixão e amor, para seguir em frente e curar juntos.

A única constante, a única certeza é que tudo muda, tudo se transforma, sem aviso, sem instruções prévias, sem espaço para customização. A linha do tempo de cada história terá inevitavelmente um ponto de viragem, uma virada inesperada e perturbadora, que ninguém previu. Assim foi e será para sempre. Então, como assumir essa realidade? Afinal, a realidade é apenas o que nosso cérebro percebe e nos diz o que é. O que podemos fazer para evitar ser oprimidos por essa incerteza permanente?

Em primeiro lugar, encontrar a nossa certeza interior, nossa verdade absoluta: reconhecer nossos recursos e capacidades, aceite que temos a energia necessária para avançar em qualquer cenário que se imponha. Reconhecer nosso valor e pontos fortes, para seguir em frente em meio à complexidade e incerteza.

Em segundo lugar, definir nosso foco estratégico, nosso propósito, com princípios e valores em sincronia, harmonizando mente, corpo e espírito, com equilíbrio e coerência. Nossos sentidos assim o exigem, para processar as informações do meio ambiente e permitir uma melhor percepção e tomada de decisão. Nossas emoções precisam disso, para nos compreendermos e interpretarmos os outros, ativando a inteligência emocional e a empatia. Nosso corpo o valoriza, para harmonizar todos os nossos sistemas e nos manter saudáveis, com bem-estar integral.

Focar-nos no que é relevante, encontrar um propósito, um foco que norteie nossos passos, mas sem expectativas que limitem seus passos, sua navegação. Fluir com as correntes, sem planos fixos, desenhando cenários, sonhando futuros possíveis, construindo estradas, mudando de curso, curtindo surpresas e incertezas criativas.

Explore, sinta, experimente, escolha, mude, comece, siga em frente, volte, viva … e comece novamente.

Florinda Pargas Gabaldón

Compartir:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Comentarios:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *