10 maio 2022

Migração Digital e Transformação dos Sentidos.

Por Florinda Pargas Gabaldón.

A migração digital, esse passo de um modelo de vida tradicional e analógico (laboral, educativa e social), para a “vida digital” (e-learning, teletrabalho, comunidades digitais e redes sociais), está movendo o chão, promovendo uma profunda transformação pessoal , que vai além do simples uso de novas tecnologias, gerando um novo olhar para essa nova realidade que nos cerca. Uma mudança que ocorre de dentro para fora, para alterar nosso jeito de ser, fazer, perceber e parecer.

Transformar nossos sentidos, para navegar nesses novos mares digitais. Passar por novos paradigmas, que nos levam a uma evolução significativa, como sociedade humana. Esta viagem começa em nós mesmos, numa profunda metamorfose dos nossos sentidos, para aprender, desaprender e reaprender, como olhar e compreender o nosso mundo, o nosso ambiente.

A palavra “transformar” tem sua origem na palavra latina “transformare”, que significa “mudar de forma”, “de um lado para outro”, “figura e imagem”. Quando falamos sobre os sentidos, o fazemos de uma perspectiva física (nossos cinco sentidos: visão, paladar, tato, audição, olfato) e psicológica (percepção, significado, sensação, interpretação e discernimento).

Eu mesma, há poucos anos, tomei conhecimento dessa transformação. Não foi um processo fácil, foi preciso deixar muito para trás (literal e metaforicamente), enfrentar meus medos, resistências, julgamentos e paradigmas, para dar um salto de fé, rumo a um espaço novo e desconhecido. Não sou um nativo digital. Perto dos meus cinquenta anos, tive que levantar âncora e navegar para o desconhecido. Alçar o voo, com novas asas.

A princípio, como a cada primeiro voo, a vertigem e o medo tomam conta de você, depois você descobre a imensidão do horizonte, novas paisagens te deslumbram e, quase sem perceber, as dúvidas se dissipam e você começa a curtir essa nova viagem.

Hoje, continuo a usufruir plenamente do meu processo de migração digital, com mais ferramentas e recursos, mais experiências e aprendizagem, mas também mais humano e consciente. Aproveitando a maravilhosa jornada da vida, com mais sonhos e menos expectativas. Focada no meu bem-estar integral, em fazer parte de um ecossistema saudável, cuidando de mim, como prioridade, sem me sentir culpada. Ser e estar, no presente. Dar e receber, para ativar a prosperidade.

Me olho no espelho e me observo, com mais linhas de expressão e expressiva maturidade emocional. Continuo aprendendo e desvendando. Aproveitando a primeira metade do meu século, grato pelo que vivi e viajei. Aprendiz e professora permanente, promovo o Mentoring Bimodal, a troca de conhecimento intergeracional, para fortalecer organizações e empreendimentos atuais e futuros, aproveitando talentos experientes e em pleno desenvolvimento, unindo visões e percepções.

Esta experiência pessoal permitiu-me reconhecer, em mim e em outras pessoas que passam pelo mesmo processo, mudanças significativas na forma como os meus sentidos percebem o mundo e na forma como agora o interpreto. Uma evidente transformação dos sentidos, para se adaptar a esta migração digital, que promovo e partilho no meu acompanhamento profissional. Cinco variações de nossos sentidos “tradicionais”, que nos permitem sintonizar melhor com o meio ambiente, interpretar novos códigos e nos adaptar a ecossistemas empresariais e sociais emergentes.

  • Foco e perspectiva: Mudança, mudar de lugar e de paradigma, nos obriga a olhar com uma nova perspectiva, focando em novos objetivos e em uma nova visão.
  • Comunicação Saudável: Utilizando a inteligência emocional, como ferramenta fundamental, para tomar decisões assertivas e fortalecer nosso processo de comunicação, de forma saudável.
  • Escuta Ativa: O objetivo é alcançar a empatia com nosso meio ambiente e novos ecossistemas, ouvindo com todo o nosso ser.
  • Respiração Consciente: Respirar profundo, consciente da necessidade de pausas ativas e gestão emocional, para manter o equilíbrio e a coerência, ativando o bem-estar integral.
  • Abraços e Conexões: Fortalecer vínculos, alianças, conexões e o relacionamento profundo, utilizando todas as nossas ferramentas, humanas e tecnológicas, para facilitar o processo de migração digital.

Observar, respirar, comunicar, ouvir e abraçar. Nossos próprios sentidos (visão, paladar, audição, olfato e tato), transformados e adaptados aos novos desafios. Um processo que leva tempo, energia e representa uma decisão pessoal, com acertos e erros.

Não há histórias sem erros. Não há maturidade sem mancha ou cicatriz. Não há rosto sorridente que não mostre rugas. Todo crescimento e aprendizado deixa marcas profundas, na alma e na pele. Podemos trocar folhas e pensamentos, o importante é manter a firmeza de nossas raízes e princípios.

Sentir, pensar e agir, a partir de um novo ponto de vista, flexível e resiliente. Esse é meu propósito pessoal e o convite que faço para você, que está nessa jornada de migração digital, buscando redefinir quem você é e para onde vai, com toda sua experiência e recursos. Vamos juntos no caminho da sociedade 5.0, com melhor tecnologia e mais humanidade.

Te escuto, te abraço e te acompanho no processo.

Florinda Pargas Gabaldón

Compartir:

Comentarios:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.