25 outubro 2021

1991-2021: 30 anos de histórias e a viagem continua…

Por Florinda Pargas Gabaldón.

Esta celebração de 30 anos de história e de vida profissional serve de desculpa para fazer um exercício muito pessoal e reflexivo, uma viagem por três décadas de aventuras e histórias, que decidi partilhar com os meus amigos (recentes e de longa data), conhecidos e toda aquela nova comunidade virtual com a qual compartilho essa nova realidade digital.

Não pretendo fazer uma autobiografia, nem escrever minhas memórias. Ativo uma viagem ao passado, com a atitude exploratória de Marty McFly, para entender, do meu presente (ou do futuro?), O que essas experiências e aprendizados deixaram em mim, nas minhas emoções, pensamentos e ações. Eu sou o que vivi.

Perfeito imperfeito: aventureira, bruxa, mágica, empreendedora, solidária. Inspiração e desafio. Eu sou uma lagarta e uma borboleta. Pássaro Fênix, sempre renascendo das minhas cinzas, dos meus erros. Professor e aprendiz. Com muitas vidas passadas e infinitas vidas futuras, vivendo plenamente meu presente, aprendendo com o passado e imaginando futuros possíveis.

Profissional abrangente e versátil, com foco no ser humano, pioneira do Pensamento 4.0, da Abordagem de Gestão Bimodal e do modelo de Acompanhamento Estratégico. Promovo a Inteligência Emocional, o equilíbrio e a coerência, como ferramentas de mudança e transformação, individual e coletiva. Sentir, Pensar e Agir, para ser mais humano, menos Homo Sapiens e mais Homo Humanitas.

Este é um exercício emocional e criativo para lembrar quem eu fui, quem sou e o que posso ser. Espero que permita que você me conheça um pouco mais, meus pensamentos, minhas referências inspiradoras e motivadoras. Um pedaço da minha história, da minha viagem, que pode servir de registro de navegação para quem está em seu próprio caminho criativo.

1991 – 1999

Ativando a Incerteza Criativa

Aos 17 anos, após quase dois anos de licenciatura em Direito, na Universidade Católica Andrés Bello, em Caracas (Venezuela), muito afetada por ter vivido de perto os efeitos do “Caracazo” (fortes protestos e motins ocorridos em 1989 ), Resolvi refazer meus passos de Caracas a Barquisimeto, para passar por uma de minhas primeiras crises existenciais, em busca de proteção e conselho familiar.

Quando eu estava terminando o ensino médio, chegou aquele momento, tão temido, no final da nossa adolescência, em que tínhamos que escolher o que estudar. O que você quer ser quando crescer? A pergunta aterrorizante. A resposta dele marcaria seu futuro para sempre, não é?

Ao percorrer as diferentes opções oferecidas pelo catálogo da universidade, na época, revi perfis profissionais com os quais me sentia identificada. Já nos meus quinze anos, minha intuição, sempre ativa e oportuna, sussurrava no meu ouvido que a escolha deveria ser orientada para o que me faria feliz, que me divertisse, uma carreira na qual eu pudesse fazer o que gostasse de fazer e também viver com isso.

Desde muito jovem gostei de escrever. Uma paixão secreta por histórias e poesia, conhecida apenas por minha família e amigos próximos. Ele se destacou em disciplinas que exigiam habilidade linguística e criativa. Também gostava de ouvir as pessoas, suas confidências e problemas, dar conselhos e abraçar seus medos. Entender a sociedade, seu comportamento, seu impacto na evolução. Por que somos do jeito que somos? Assistir a notícias e análises político-sociais faziam parte dos meus hobbies. Assim, concentrei-me em quatro carreiras que pareciam relacionadas aos meus interesses: Literatura, Psicologia, Sociologia ou Antropologia.

No final, minha família me convenceu a estudar Direito, pois é uma carreira mais tradicional e com maiores possibilidades de sucesso econômico. O que eles não sabiam é que aquela voz interior, aquela força poderosa do coração, sempre te guia, mesmo quando você não quer ouvir. Quando você resiste, o conflito começa, o que o leva a se revelar e reordenar suas prioridades. A crise necessária, para quebrar e transformar.

Graças a essa crise, cheguei à publicidade e ao marketing, um mundo desconhecido para mim, no qual descobri a incerteza criativa. Um mundo tão amplo e complexo que me permitiu explorar e desenvolver todas aquelas habilidades que viviam em mim: escrita criativa, conhecimento da psique humana, suas motivações, sonhos e inspiração, comportamentos sociais, seus ativadores, referências e influência. Tudo em um único setor, em menos de dez anos: a magia da publicidade.

Meu primeiro emprego foi na agência de publicidade Pumerca Target, uma das maiores da região. Aos 19 anos fui contratada como Redatora Criativa Júnior. Sem experiência e com muito entusiasmo, agradeço ao Sr. Nelson Casas, presidente da empresa, por ter confiado em sua intuição, seu nariz experiente e me dado aquela primeira grande oportunidade. Também aprendi uma grande lição de primeira vida: confiar em nossa intuição.

O que é intuição? Segundo a Real Academia Espanhola “é a faculdade de compreender as coisas instantaneamente, sem necessidade de raciocínio, pressentimento ou percepção íntima e instantânea de uma ideia ou verdade que parece óbvia para quem a tem”. Concordo que é uma virtude e percepção íntima, que mostra uma realidade, mas não concordo com a frase “sem necessidade de raciocínio”.

Para que essa capacidade seja ativada, é necessário integrar nossos hemisférios cerebrais, assim como todos os seus níveis (reptiliano, límbico e neocórtex) para que ocorra aquela percepção profunda, quase epifania, que chamamos de intuição. Em suma, é necessário ativar totalmente a inteligência emocional: sentir, pensar e agir, para usar todo o nosso potencial e unir paixão, razão e intuição, em benefício de uma tomada de decisão assertiva.

Depois da Pumerca Target veio a experiência na ARS Barquisimeto, como Redatora Criativa, outra das grandes agências de publicidade da época. Minha história arsiana se divide em duas partes, desde uma oferta de emprego, para trabalhar em uma produtora audiovisual (Beta Video Producciones), me leva de volta a Caracas, na época de ouro dos comerciais de televisão, videoclipes e casting para cinema.

Meu retorno à ARS, agora como Diretora Criativa, me permite explorar outros níveis de compromisso com esta profissão, conectar-me com os clientes, aprofundar suas necessidades e expectativas. A oportunidade de aprender com um líder inspirador como Fernando Guédez, presidente da empresa, alimenta meu conhecimento, levando-me à Diretoria de Serviços e Atendimento ao Cliente. Paralelamente a essa experiência, iniciei minha atuação como professora em diversos institutos universitários do país.

Minha função como professora me permitiu perceber a importância da aprendizagem contínua, de aprender e desaprender, de me manter atualizada em qualquer profissão ou ofício que escolhermos. Mais do que lecionar, foram anos de profundo aprendizado e lições de vida, cada aluno deixou uma marca e espero ter deixado uma referência profissional e humana em cada um.

Um ciclo de oito anos, que começou com crises e oportunidades das quais aproveitei ao máximo e terminou com um colapso pessoal, que viria profundamente a minha história.

Qual é o principal aprendizado desse período? Aproveite os recursos, fique atenta às mudanças e viradas inesperadas, ativar a criatividade e a inovação permanentemente, aprender e desaprender, aproveitando cada passo, para desenvolver plenamente a Incerteza Criativa.

Um chamado para abrir asas e alçar vôo, rumo a outros horizontes e saberes. Mudança e transformação como premissa permanente, única certeza possível.

2000 – 2006

Mudança e transformação

O divórcio ativa um processo de mudança e transformação profunda, uma necessidade de me encontrar, de me desafiar, de passar por meus medos, de enfrentar minhas angústias e insatisfações, enfim, iniciar a jornada em direção à zona de incômodo. Nesse período, viajei pela primeira vez à Colômbia, afastando-me o mais possível de minhas certezas e certezas. Uma mudança de pele, para me preparar para os novos desafios que estavam por vir.

A Ancor Cosmetics, fabricante e distribuidora venezuelana de produtos cosméticos, me oferece a oportunidade de liderar sua expansão comercial para outras fronteiras. A Colômbia é a primeira etapa deste projeto. Abrindo mercados, consolidando marcas, liderando equipes comerciais, desenvolvendo processos de importação e exportação, todo um novo mundo de responsabilidades e experiências. Aprender que o plano nem sempre é cumprido, que o mapa não é o território, que cair e errar faz parte do percurso.

Três anos depois, estava de volta à Venezuela, mais madura e serena, com maior clareza na visão de negócios, pronta para assumir mais um desafio corporativo: Acompanhar os processos de comunicação corporativa da Organização El Tunal, consórcio venezuelano do agronegócio.

Um momento de profunda reflexão e revisão, para onde vou? O que eu realmente quero fazer? Na busca pela iluminação, foco meu olhar no turismo. Mudei-me para a Ilha de Margarita e lá exploro o desenvolvimento de estratégias para a promoção de produtos turísticos no Fundo Misto de Turismo de Nueva Esparta. Prossigo a minha experiência docente no INCE Margarita Hotel School e fiz as minhas primeiras intervenções como consultora de negócios e acompanhante no desenvolvimento de projetos de investimento e planos de negócios.

Cinco intensos anos que se encerraram com um convite para fazer parte de um novo projeto corporativo, no qual pude expor toda a experiência adquirida no desenvolvimento de marcas e comunicação, bem como no processo de arquitetura de negócios: o nascimento da BEL Corporation. Liberdade criativa e objetivos claros, assim como a oportunidade de ser parceira pela primeira vez em uma empresa “Comunicação, Imagem e Marketing Avançado, CIMA” (parte da holding Bel Corporation) são algumas das conquistas desse período.

Mas a inquietação estava presente, uma necessidade de independência, de explorar outros caminhos. Um chamado para abrir asas e alçar vôo, rumo a outros horizontes e saberes. Mudança e transformação como premissa permanente, única certeza possível.

2007 – 2016

Equilíbrio e coerência

Em meados de 2006 tomei a decisão de me tornar independente, de ser empresária e nasceu a “Sapiens Formación y Consultoría”. Nesta empreitada, todos os conhecimentos e experiências dos últimos anos são reunidos numa oferta de serviços focada no acompanhamento dos líderes empresariais nos seus processos de transformação e otimização dos modelos de negócio. Minha própria experiência serviria de guia para esse processo.

Nesta fase, consolido os meus conhecimentos em várias áreas, concluindo especializações, diplomas e iniciando outra carreira universitária (Licenciatura em Desenvolvimento Humano). Eu me aprofundo na aplicação da Inteligência Emocional e Social, Programação Neuro Linguística, Abordagem Bimodal de Gestão e o impacto da Quarta Revolução Industrial em nossos negócios e ecossistemas sociais. O modelo de Desenvolvimento Humano Sustentável serve de foco estratégico para dar sentido a um novo olhar sobre os modelos de negócios: fazer no presente, sem hipotecar o futuro.

Este é um momento de grande aprendizado e fertilidade criativa. Consolidando o modelo Pensamento 4.0, desenvolvo a metodologia da Caixa de Ferramentas, aplicando Acompanhamento Estratégico, oferecendo aos meus clientes e aliados um sistema eficaz que potencializa seus processos de mudança, com equilíbrio e coerência, sempre a partir da experiência pessoal, para demonstrar resultados experimentados e testados. Nasce meu filho, meu Mestre de Vida, inspiração e desafio. Nada mais seria o mesmo.

O país convulsiona. A crise que ocorreu em 1989 e que me impulsionou a reverter minha carreira profissional gerou um caos político e social. A busca pela mudança, sem foco, sem propósito, leva a Venezuela a tomar decisões viscerais e precipitadas. O futuro está hipotecado, o curso está perdido, os líderes falham em inspirar e a sociedade perde a fé.

Depois de tentar fazer parte da solução, percebo que a vida e a integridade de minha família estão em risco. Mais uma vez, a Colômbia me abre os braços e decidimos, com dor, tristeza e esperança, buscar horizontes de paz e prosperidade.

2017 – 2020

A vida, uma viagem maravilhosa

MIGRAR: Do lat. migrāre. (“Mudar de residência, mudar”) 1. intr. Mudar do lugar onde você mora para outro. (Real academia espanhola)

Migrar, uma constante do ser humano. Migramos nosso Ser, desde que somos concebidos, transmutamos pensamentos e emoções, enquanto evoluímos e amadurecemos. Migramos de pessoas, de lugares, caminhando com nós mesmos, em uma jornada maravilhosa que chamamos de vida.

A Colômbia nos abre os braços, nos acolhe e serve de ninho protetor para curar feridas e curar a alma. Abandonar e deixar para trás uma vida, um lar, uma história é doloroso. O luto requer tempo, silêncio e serenidade para ser processado e aprendido.

Aprenda que o sorriso é uma bandeira pessoal, que representa a fé e a esperança diante de qualquer tempestade ou desafio, que é o acolhimento ao outro, o abraço caloroso de quem precisa de encorajamento. Grato pelos sorrisos recebidos, faço deles parte da minha essência e a felicidade como propósito pessoal. A felicidade não é um destino, nem um ponto de chegada, é um caminho permanente, uma decisão constante, que se toma todos os dias, com determinação e convicção.

A experiência de imigração na Colômbia me encheu de grande satisfação pessoal e profissional. Aqui nasceu outro empreendimento empresarial “Rio Red Empresarial” e um empreendimento social “Venezuelanos em Rionegro”, que me conectaria com a realidade das lacunas e vulnerabilidades da migração forçada.

Nos primeiros três anos, a troca de ideias e novas experiências são o espaço ideal para desenvolver novas alianças, ampliar o âmbito de atuação em novas fronteiras (Equador, México, Espanha, Estados Unidos, Chile e Venezuela), desenvolver o programa Asas de Mulher, Liderança Gerencial 4.0, o Programa de Bem-Estar Integral Empresarial Vamos nos Cuidar, além de participar de eventos e encontros de negócios, a nível nacional e internacional.

Ativo a migração virtual, dada a necessidade de desenvolver uma plataforma tecnológica que me permita conectar com o modelo de comunicação global das economias digitais. Ecossistemas de negócios e comunidades que não se limitam a esferas regionais ou países. Ativação de alianças e modelos de negócios, sem fronteiras, sem limitações. Um processo progressivo, que aparentemente demoraria alguns anos para se generalizar, no qual decidi seguir em frente, lentamente, mas sem pausa, até a chegada da pandemia.

O ano de 2020 trouxe consigo um desafio de mudança e transformação, a necessidade de avançarmos juntos, em meio à incerteza, ativando toda a nossa criatividade e equilíbrio emocional, físico e espiritual. Aprender a cair e pular, no escuro, sem certezas, controlando o medo. Dar e receber, inspirando, motivando e acompanhando, reconhecendo nossos recursos, forças e capacidades, acima de limitações e deficiências.

A Covid-19 se apresenta como o grande acelerador da transformação digital, a Quarta Revolução Industrial prevalece, esmagando aqueles que resistem. Facilitadores tecnológicos se incorporam em nossa dinâmica social, empresarial e educacional (IA, IoT, cloud computing, RV, RA) e facilitadores culturais (pensamento crítico, agilidade, flexibilidade, inteligência emocional e social, resiliência, trabalho colaborativo) tornam-se indispensáveis ​​para avançar no meio a tempestade transformadora.

2021

A viagem continua…

2021 começa com grandes expectativas. Depois do aprendizado que nos deixa 2020, estamos atentos às oportunidades que este novo ano pode nos oferecer. O plano tem múltiplos cenários, o objetivo é avançar, passo a passo, abrir caminhos, descobrir novos horizontes. Com atitude de explorador, abrimo-nos à aventura da aprendizagem, deixamo-nos surpreender por novas descobertas, limpamos os joelhos a cada queda e avançamos.

Somos todos uma história em andamento. Convido você a rever sua história, seu próprio caminho pessoal, seus triunfos e fracassos, seus ganhos e perdas. O que foram, o que são e o que ainda falta ser e fazer. Somos únicos e especiais. Reveja sua história, aprenda da tua história, compartilhe sua história e mude a história.

Te escuto, te abraço, te acompanho.

Florinda Pargas Gabaldón

Compartir:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Comentarios:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *