7 outubro 2022

Empreender, Empreendedorismo e Empreendimento: Meu Mapa Pessoal

Por Florinda Pargas Gabaldón.

Para iniciar essa jornada e entender o roteiro, a primeira coisa que gostaria de compartilhar com vocês é a importância da semântica em nosso trabalho diário. Semântica é a disciplina que estuda o significado dos signos linguísticos (palavras) e suas combinações, para o qual é muito útil quando queremos entender o uso e o alcance de certas palavras e terminologia, para usar adequadamente.

No caso das palavras: empreender, empreendedorismo e empreendimento, devemos estar cientes de que ao utilizar estes termos estamos a aceitar o contexto económico desta atividade. Nesta reflexão particular, quando falamos de empreendimento, estamos gerindo uma concepção econômica do mundo, pois quando falamos de empreendedorismo em diferentes contextos (comércio, pesquisa, administração, comunidade, sociedade, indústria), o significado da expressão é nem sempre iguais e podem ter algumas variações.

Assim, do ponto de vista econômico, podemos distinguir vários significados, cujo principal valor (do meu ponto de vista) é nos ajudar a entender nossa localização no mapa de um processo produtivo, identificar nossos pontos fortes, recursos, lacunas e oportunidades, bem como conhecemos as ferramentas que precisamos aplicar em cada etapa do caminho, para atingir nossos objetivos.

A primeira coisa que devemos nos perguntar, ao iniciarmos esta jornada, é quem faz o quê? Ao nós fazermos essa pergunta, encontramos a primeira palavra-resposta que nos guiará nesse caminho: Empreendedor, adjetivo que qualifica a pessoa que empreende ações inovadoras e produtivas. Seu foco está no fortalecimento permanente de suas hard e soft skills (hard skills representam aquelas coisas que aprendemos a fazer ou usar, como ferramentas, tecnologias ou outras competências e soft skills são os traços interpessoais que desenvolvemos ao longo do tempo, como comunicação assertiva, credibilidade ou generosidade), uma vez que são essas competências que permitem fazer, pelo que cada empreendedor, consoante a área em que pretende empreender, deve rever quais deve reforçar ou incorporar ao seu perfil pessoal.

Alguns exemplos de hard e soft skills:

• Soft skills: trabalho em equipa, liderança, comunicação assertiva, pensamento crítico, capacidade analítica e de resolução de problemas, atenção ao detalhe, vontade de aprender e estar à frente, adaptabilidade, priorização e gestão de múltiplas tarefas.

• Hard skills: programação web, conhecimentos de contabilidade e matemática financeira, conhecimentos linguísticos, conhecimentos de marketing e negócios, expressão oral, design gráfico, ferramentas de análise de dados, conhecimentos de software administrativo, entre outros.

A segunda pergunta, diretamente ligada à anterior, é o que ele faz? Empreender é um verbo, que indica a ação de iniciar uma obra, projeto ou negócio. Envolve o uso de recursos e um certo grau de dificuldade ou risco. As atividades que devem ser realizadas, quando o empreendedor decidir empreender, devem estar refletidas em um Plano de Ação, para evitar dispersão, desordem e desperdício de recursos.

Um plano de ação é um mapa que estabelece o caminho para atingir as metas. Ele reflete o caminho que uma organização deve seguir com base no planejamento estratégico. O sucesso de um bom plano de ação depende da revisão constante de seu cumprimento, pois é apenas um roteiro, um diário de viagem, que nos ajuda a avançar em terrenos desconhecidos e pode ter ajustes e correções, dependendo dos obstáculos e contingências que aparecem ao longo do caminho.

Como fazê-lo? Esta terceira pergunta é a mais frequente dos empresários e empreendedores que acompanho. O como? Tem a ver com o processo, aquele modelo, ponto de referência, esquema ou sistema, que é desenvolvido para facilitar a compreensão e o estudo de uma realidade, compreendendo suas fases, tempo e resultados esperados. Neste caso, o modelo a seguir é o Empreendedorismo.

O neologismo empreendedorismo é usado como uma adaptação da palavra, originária do inglês, entrepreneurship, que significa “capacidade de organizar, administrar e assumir os riscos dos negócios de uma empresa, de ser empreendedor”. Há também outras traduções possíveis para empreendedorismo como espírito empreendedor ou atitude empreendedora.

De uma concepção produtiva, o empreendedorismo é definido como um modelo ou processo econômico, por meio do qual uma pessoa converte sua ideia em um projeto concreto, que gera benefícios sociais ou econômicos. O monitoramento e controle é feito por meio da Gestão de Processos, disciplina de gestão que propõe a otimização dos processos de um negócio ou operação, para gerar mais valor para o cliente. Há uma combinação de quatro etapas (planejamento, direção, organização e controle), todas necessárias para entender e poder melhorar continuamente os processos, cuja finalidade é formular objetivos, desenvolver funções, envolver o talento humano e gerar produtos ou serviços.

Finalmente, por que fazer isso? O resultado final, de toda essa jornada que o empreendedor faz, ativando ações sob um modelo econômico produtivo, é alcançar um Empreendimento saudável e sustentável. A melhor forma de avaliar esse resultado e saber o quanto ele pode ser saudável e sustentável é por meio de indicadores de gestão.

Os indicadores de gestão são a expressão quantitativa e/ou qualitativa do comportamento e desempenho de um processo, é uma característica específica, observável e mensurável que pode ser utilizada para mostrar as mudanças e progressos que estão sendo obtidos, em direção ao alcance de um resultado específico. Os indicadores devem permitir acompanhar o cumprimento dos objetivos a que estão associados, apoiando empreendedores e líderes organizacionais, na avaliação da gestão e melhoria contínua dos níveis de aprendizagem na organização.

Você reconhece a si mesmo e seu projeto pessoal ou empresarial neste mapa? Se identifica com as definições que compartilhamos? Essas informações ajudaram a esclarecer dúvidas, rever sua trajetória empreendedora e reconhecer as áreas, habilidades ou ferramentas que ainda precisa fortalecer?

Espero que esta informação seja útil e esclareça algumas dúvidas. Estou atenta às suas observações e comentários, sempre disposta a acompanhar o fortalecimento das competências dos líderes organizacionais, o planejamento estratégico e a gestão de seus processos. É o nosso propósito e compromisso pessoal.

Eu te escuto, te abraço e te acompanho no processo.

Florinda Pargas Gabaldón

Compartir:

Comentarios:

6 respostas

  1. certainly like your website but you need to take a look at the spelling on quite a few of your posts Many of them are rife with spelling problems and I find it very troublesome to inform the reality nevertheless I will definitely come back again

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *