4 abril 2022

Experiência do Funcionário em Ambientes VUCA

Por Fanny Santeliz Veracoechea.

E em meio a uma crise de saúde que já dura quase dois anos, a pergunta sobre o que está causando esse fenômeno inesperado e repentino é obrigatória? A primeira impressão dos chamados “desistentes” (quitters, em inglês) é que aqueles que saem muitas vezes estão emocionalmente exaustos em casa pelas exigências do trabalho, somados a uma situação global já estressante, sentindo que precisam urgentemente de uma pausa para se encher, após ter se esvaziado para o sistema.

Isso mostra que não apenas a crise mundial gerada pela pandemia da doença do coronavírus (COVID-19) evidenciou as assimetrias existentes entre economias desenvolvidas e economias emergentes e em desenvolvimento, em termos de capacidade de resposta. tanto para implementar políticas voltadas para mitigar os efeitos sanitários, econômicos e sociais da crise quanto para promover uma recuperação sustentável, mas fez o empregado questionar que tipo de trabalho ele tem e como ele investe sua maior reserva: o tempo.

Por uma questão de objetividade, é importante mencionar que este século XXI trouxe consigo contribuições significativas para o ecossistema de negócios, hoje falamos de neuro-marketing como uma das ferramentas para materializar a Experiência do Usuário (UX), estamos enfrentando esquemas de colaboração para fortalecer as redes empresariais e temos o mundo digital como uma plataforma fundamental para globalizar produtos e serviços. E graças à evolução das áreas de foco, hoje podemos mostrar com estudos que as emoções condicionam o comportamento mil vezes mais rápido que as razões. Segundo Martin Lindstrom, guru do marketing, “mais de 75% das decisões de compra são feitas com o cérebro emocional”. Então, os nossos Colaboradores não são o nosso primeiro cliente?

Partindo do SIM como resposta e reconhecendo que a primeira venda intangível que fazemos como líderes internamente nas organizações é fazer com que nossos colaboradores “comprem com prazer” e se apropriam do propósito da empresa. Hoje, o colaborador do século XXI caminha a favor de valores compartilhados, uma visão de hoje baseada na confiança, no respeito, no compromisso mútuo e no caminho traçado no qual construímos juntos o futuro, porque não só precisamos uns dos outros, mas também querem trilhar o caminho como uma equipe.

Em ambientes voláteis, complexos e onde mudanças abruptas exigem agilidade, identificação de riscos, integridade de processos, comunicação assertiva, escuta ativa e monitoramento claro de cada cenário; É também um desafio para as organizações gerenciar a emotividade de seu pessoal.

A Experiência do Funcionário, então, parte da premissa de que por maior que seja a empresa, no momento do relacionamento é Pedro quem fala com María e as pessoas são seres eminentemente emocionais. Portanto, é fundamental poder trabalhar com base em:

  • Certifique-se de que seu pessoal tenha clareza sobre os objetivos da sua unidade e objetivos individuais. É fundamental que o colaborador saiba o que se espera dele. Isso permitirá que você se concentre em resultados abrangentes.
  • Desenvolva reuniões proativas, precisas, com agendas claras, mas com pensamento amplo. Onde as opiniões dos colaboradores sejam ouvidas e seja gerado um compromisso na solução dos eventos de forma clara e com responsabilidades estabelecidas.
  • Lembre-se de ser o sênior que você sonhou quando era júnior. A paciência e o respeito ao ser um mentor de soluções é vital para poder gerar ideias e formar pessoas que tenham questionamentos proativos.
  • Valorize os esforços individuais e quando for necessário exigir, faça-o com argumentos objetivos e baseados em ações evidentes. Não se limite a atitudes ou comportamentos subjetivos.
  • Invista tempo em seu pessoal. Não perca tempo com detalhes que não movem a equipe em direção aos resultados.
  • Ative a partir do exemplo.

Não se trata de receitas perfeitas, cada organização tem a sua personalidade que a caracteriza, a nossa forma de liderar não é um traje padrão para todos. Esta Experiência do Funcionário visa construir a sustentabilidade integral dos ecossistemas empresariais, tendo o ser humano no centro.

Fanny Santeliz Veracoechea | Directora de SERGIA C.A.

Compartir:

Comentarios:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.