9 outubro 2021

A Gripe Econômica: a próxima pandemia

Por Florinda Pargas Gabaldón.

A pandemia COVID é seguida por uma pandemia de trabalho, uma gripe econômica, com sintomas graves de recessão. A estratégia ideal para superar essa nova crise, de forma sustentável, seria apostar em um plano de treinamento e retreinamento dentro e fora das empresas. Um plano que seria importante para começar imediatamente, para alavancar nossa equipe em direção a um modelo Talent 4.0.

O desafio é adaptar processos e fortalecer uma cultura compatível com novas organizações, mais ágil e inteligente, que são as que mais terão capacidade de adaptação ao meio ambiente. Preparar profissionais nos novos processos para que o talento tenha um papel maior.

Quais são os principais desafios que devemos enfrentar, diante dessa nova realidade?:

Espaço de trabalho virtual com design de experiência de funcionários

  • Entenda o local de trabalho virtual, em casa, com as restrições e limitações que isso implica.
  • O consultório físico é reduzido e concebido mais como um espaço de socialização. Sem posições fixas, se você decidir ir trabalhar sozinho.
  • O desafio é a produtividade no novo espaço de trabalho virtual com design e padrões: evitar caos, redundância, informações perdidas.

Modelos organizativos bimodales, redárquicos y ágiles

  • La redarquía gana espacio frente a la jerarquía. La organización dual es el nuevo modelo organizativo, los equipos en red ganan importancia frente a las funciones-silo.
  • Los protagonistas: Comunidades y equipos virtuales. No responden a la lógica funcional y sus objetivos temporales o permanentes explotan la inteligencia colectiva.
  • Equipos ágiles autogestionados. Con objetivos de mejora e innovación a corto plazo. La filosofía ágil es la más adecuada para los momentos de incertidumbre actual.

Modelos organizacionais bimodal, redarquic e ágil

  • A redarquia ganha espaço na frente da hierarquia. Dupla organização é o novo modelo organizacional, equipes em rede ganham importância sobre funções-silo.
  • Os protagonistas: Comunidades e equipes virtuais. Eles não respondem à lógica funcional e seus objetivos temporários ou permanentes exploram a inteligência coletiva.
  • Equipes ágeis auto-gerenciadas. Com objetivos de melhoria e inovação de curto prazo. A filosofia ágil é mais adequada para tempos de incerteza atual.

Líderes que criam líderes

  • O trabalho e a equipe virtual exigem liderança baseada na confiança, autonomia e empoderamento: liderança distribuída.
  • Concentre-se em metas, não em tempo. Substitua o valor do presenteísmo como medida de compromisso, pela qualidade do que é produzido. Equilibrando demanda e conciliação
  • Motivar trabalhadores capacitados é como trabalhar com voluntários. Empatia com objetivos vitais e espirituais é básico

Novas habilidades, para ambientes digitais complexos

  • Aposte no conhecimento que um trabalhador precisa em ambientes altamente tecnológicos: bots, robôs ou Inteligência Artificial.
  • A reavaliação de soft skills e facilitadores culturais. Gerenciar a complexidade e a incerteza requer inteligência emocional, mais empatia, criatividade e pensamento crítico.
  • O espírito de colaboração, contribuição, autoresponsabilidade e outras habilidades de networking, tanto interna quanto externamente

Reavaliando e apoiando a evolução do talento 4.0

  • O treinamento é inadequado. É necessário mapear habilidades, avaliar, analisar habilidades e projetar ambientes de aprendizagem a médio prazo.
  • O virtual desloca o presencial: elearning, treinamento online, realidade aumentada, microaprendo, comunidades de prática ou aprendizado.
  • Aprenda a aprender. A chave é oferecer suporte na autopresinagem e em novas formas de aprendizagem, no fluxo de trabalho

Processos inclusivos que potencializam a Inteligência Coletiva e o Trabalho Colaborativo

  • Fortalecendo a comunicação e a colaboração transversal. Virtualizar requer reforçar a comunicação inclusiva: Somos todos remetentes e receptores.
  • Inovar e melhorar as práticas de rede. Os processos de monitoramento do meio ambiente, criatividade e inovação em rede e virtual ganham destaque: Todos nós inovamos e avançamos
  • A aprendizagem em redes sociais é a principal forma de aprendizagem do dia-a-dia: Somos todos alunos e professores

Relações industriais abertas e flexíveis

  • Flexibilidade interna e carreiras flexíveis. Mudanças nos empregos exigem profissionais e processos que facilitem essa alta mobilidade.
  • Flexibilidade requer novas habilidades que não estão dentro, freelancers tratados como parceiros estratégicos é a nova realidade de muitas organizações.
  • O sistema educacional diante das novas tecnologias está indo muito devagar, contratando habilidades, independentemente de como você aprendeu.
  • A rede virtual desempenha um papel fundamental porque reforça os processos de conectividade e inteligência coletiva.

Este é apenas o começo, estamos apenas começando a entender o impacto dos eventos e suas consequências. Esteja atento, observe o meio ambiente, suas mudanças, os atores e a transformação do ecossistema empresarial. Cada setor terá seus próprios desafios, mas o maior de todos é acompanhar a evolução do Talento Humano 4.0, para continuar avançando e aprendendo.

Florinda Pargas Gabaldón

Compartir:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Comentarios:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *